Covid-19: tudo o que as escolas precisam saber para as aulas voltarem.

blog beSafe

Imagem gráfica do vírus da Covid-19

Com um total de mais de 600 mil vidas perdidas, o Brasil é o país com maior número de óbitos por COVID-19.

É fato que, em 2020, o surgimento da pandemia da Covid-19 – o novo vírus – assolou a todos nós, gerando insegurança e caos. Mas também é fato que, hoje, o panorama mundial da doença é bem diferente do que era ano passado. Ainda sim, o medo pode dar voz a algumas dúvidas – que são comuns – e, por isso, vamos te ajudar a entender a Covid-19.

Por que a Covid-19 causou uma pandemia


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pandemia é a disseminação de uma nova doença pelo mundo. Mais especificamente, é quando uma epidemia (que é um surto localizado em uma região) se espalha por outros países e continentes, sendo a sua forma de transmissão sustentada de pessoa-a-pessoa. Por esse motivo, pode-se dizer que a covid-19 nos deixou em uma situação pandêmica.
Entretanto, não é a primeira pandemia que existe, no século 14, por exemplo, a peste bubônica – ou Peste Negra –, causada pela bactéria Y. Pestis, matou, aproximadamente, 100 milhões de pessoas em todo o mundo. Já em 1918, cerca de 50 milhões de indivíduos morreram por conta de uma doença causada por um subtipo do vírus influenza – a Gripe Espanhola. Mais recentemente, pudemos observar a ação do vírus H1N1, causador da chamada Gripe Suína em 2009.

O início da Covid-19


O primeiro caso de Covid-19 no mundo foi identificado em 17 de novembro de 2019, segundo informações do governo chinês consultadas com exclusividade pelo SOUTH CHINA MORNING POST. Entretanto, até agora, a OMS sustenta que a primeira confirmação da covid-19 ocorreu em 8 de dezembro de 2019
em Wuhan, na China. A partir daí, o vírus se espalhou para outros países e continentes, dando início à pandemia.
É interessante salientar que o vírus é chamado de “novo” porque faz parte de uma família de outros coronavírus que já conhecíamos, sendo que cada uma dessas espécies tem suas particularidades. Este é o SARS-CoV2 e causa a doença chamada COVID-19.

Sintomas e formas de transmissão da Covid-19


A Covid-19 pode gerar sintomas que variam desde uma gripe – como tosse seca e persistente, febre acima de 38°C e perda de gosto e olfato – até uma pneumonia grave, com falta de ar severa e dor no peito. Essa doença é transmitida, principalmente, da seguinte forma: quando uma pessoa infectada tem tosse ou espirra, ela libera mini gotas de saliva no ar. Assim, ao respirar essa mini gota, uma pessoa não infectada pode ficar doente. 
Por isso, locais em que há aglomeração de pessoas são fontes de novos casos, sendo recomendável que se evite esses lugares e que se use máscaras e álcool em gel. No entanto, muitos indivíduos desrespeitaram as regras de distanciamento social e se recusaram a usar máscaras, o que aumentou drasticamente o número de casos e, consequentemente, de óbitos.

A Covid- 19 nas escolas


Com o retorno das aulas presenciais, as escolas precisaram se adaptar para que elas pudessem receber seus alunos em segurança. No entanto, em muitos colégios do Brasil houve
casos de Covid-19 entre professores e alunos, o que levou à suspensão das aulas imediatamente.
A Covid-19 possui uma alta taxa de transmissão, fica ainda mais fácil quando as crianças e adolescentes se juntam para estudar e ter momentos de lazer juntos. Desse modo, é essencial que as escolas tomem medidas a fim de evitar que os alunos e seus pais possam contrair a covid-19.

Como as escolas podem se preparar para a Covid-19


É sabido que para prevenir uma doença, são necessários mecanismos que ajudem a evitar que fiquemos doentes. A vacinação é um pilar primordial ao combate da Covid-19. Mas existem outras técnicas que podem ajudar a evitar a infecção:

1)Distanciamento social: até que a imunização geral do país seja completa, é preciso evitar locais de aglomeração, para sua proteção e daqueles que o cercam. 

2)Uso de máscaras: a barreira física que a máscara impõe é importante para “filtrar” o ar que respiramos. Assim, em ambientes que possam estar infectados, sua saúde será preservada. 

3)Higienização pessoal: levar as mãos à boca e aos olhos, às vezes, é inevitável. Por isso, lave-as sempre com água e sabonete – além de usar frequentemente álcool em gel – a fim de evitar a contaminação. Ademais, ao chegar na rua, lave as roupas que usou e tome banho. 
No entanto, é importantíssimo citar que não existe medicamento que possa prevenir a covid-19. Até então, a ciência ainda não descobriu um antiviral que consiga “imitar” o efeito da vacina e deixar as pessoas imunes a covid-19. 
Por esse motivo, conte com as precauções citadas acima e não coloque a sua vida em risco. Além disso, se você estiver com sintomas da doença, procure um médico. Não se automedique! Isso pode trazer prejuízos a sua saúde. 

SE LIGA!


A pandemia ainda não acabou. Esteja sempre atento aos sinais e sintomas que podem aparecer e, caso eles apareçam, faça o isolamento social em sua casa, evitando a contaminação de seus familiares. Procure o hospital mais próximo de sua residência para confirmar o diagnóstico e procurar o tratamento adequado para seu caso. Não tome remédios sem prescrição e acompanhamento médico! E lembre-se: vacinas salvam vidas! Agora, até que a cobertura vacinal esteja completa em todo o país, continue usando máscara e álcool em gel. Proteja-se! 

bESAFE Saúde © 2021
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

beSafe HeaLth&Edutech Educação, Saúde e Segurança por Tecnologia LTDA
 
CNPJ: 40.759.278/0001-61

bESAFE saúde © 2021 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

beSafe Health&Edutech Educação, Saúde e Segurança por Tecnologia LTDA
 
CNPJ: 40.759.278/0001-61