Alergia alimentar: O que é, o que pode gerá-la, quais os sintomas, como diagnosticá-la e como tratá-la.

blog beSafe

Uma mulher perto de um remedio, está apresentando sintomas de alergia alimentar, com diversos alimentos na mesa próxima a ela

Antes de falarmos sobre alergia alimentar, devemos entender o que é uma alergia.

Alergia, por definição, é uma resposta exagerada do sistema de defesa – imune – do corpo contra substâncias variadas – chamadas, nesses casos, de alérgenos – que entram em contato com o corpo. 

No caso da alergia alimentar, esses alérgenos são comidas e bebidas ou componentes destes.

O que é a alergia alimentar?


A alergia alimentar é uma reação adversa a um alimento ou bebida a qual pode levar a diversos sintomas de caráter alérgico em diversas partes do corpo, como pele, intestino ou pulmões, por exemplo, podendo ser tais reações leves ou graves.

A alergia alimentar se faz presente em, aproximadamente, 8% das crianças e 3% dos adultos, estando muito relacionada a outros quadros alérgicos não alimentares.

Quais fatores podem influenciar no desenvolvimento de alergias alimentares?


O fator mais importante que pode ser apontado para desenvolver uma alergia alimentar , é a predisposição genética, ou seja, pessoas com familiares que têm alergias tendem a desenvolvê-las mais frequentemente. 

Inclusive, estudos apontam que, com pais com alergia alimentar , a probabilidade de uma criança desenvolver também alergia alimentar é de 70%.

Além disso, pessoas com asma, histórico de outras alergias alimentares, alergias a remédios, por exemplo, além de bebês e crianças tendem a desenvolver mais alergia alimentar.

Alergia alimentar infantil 


A alergia alimentar infantil , assim como qualquer outra alergia alimentar, é uma reação imunológica que o organismo da criança entende que aquele determinado alimento é um intruso e tende a atacá-lo, com isso possa a vir a responder de diversas formas.

No entanto, crianças tendem a sofrer mais com alergias alimentares que os adultos, como dito no início do texto, estima-se que cerca de 6 a 8 % das crianças sofram com esse tipo de transtorno, segundo a ASBAI.

Portanto é preciso ficar muito atento em alguns alimentos que as crianças ingerem, principalmente nas escolas que é onde elas passam a maior parte do seu tempo.

Quais são os sintomas da alergia alimentar?


Os sintomas da alergia alimentar podem surgir entre 15 minutos a 6 horas após a ingestão de determinado alimento e, como dito anteriormente, podem ser leves ou graves.

Dentre os leves, podemos citar:

  • espirros;
  • nariz entupido;
  • olhos lacrimejantes;
  • inchaço;
  • nariz escorrendo;
  • dores de barriga;
  • aftas;
  • diarreia 
  • manchas na pele.

Sobre os sintomas mais graves, eles podem ser:

  • dificuldade para respirar;
  • coceira e vermelhidão na pele;
  • dor na barriga;
  • sensação de desconforto na garganta;
  • vontade de vomitar (náusea);
  • vômitos;
  • aceleração dos batimentos do coração;
  • inchaço na boca, nos olhos e no nariz;
  • suor intenso;
  • confusão mental;
  • ardência e queimação ao evacuar;
  • tontura e
  • desmaio.

Quais são os principais alimentos causadores de alergia alimentar?


Os principais alimentos os quais causam alergia alimentar são amendoim, leite de vaca, ovo, trigo, frutos do mar, soja e oleaginosas.

  • Amendoim – em geral, os sintomas da alergia ao amendoim envolvem manchas na pele com coceira, inchaço na boca, nariz entupido ou escorrendo, formigamento na garganta e vontade de vomitar.
  • Leite de vaca – para a alergia a leite de vaca, os sintomas, normalmente, são diarreia, coceira, dor de barriga e vômitos.
  • Ovo – os sintomas mais comuns são coceira, problemas para respirar e dor de barriga.
  • Trigo – para alimentos que contém trigo, os sintomas para episódios de alergia comumente são vontade de vomitar, vômitos, diarreia, dor de cabeça e dificuldade para respirar.
  • Frutos do mar – sendo uma das alergias mais perigosas, os sintomas tendem a ser mais graves, passando por vômitos, diarreia, coceira, dificuldade para engolir, palidez, confusão mental, má digestão e pulso fraco, além de espirros, asma e nariz entupido ou escorrendo.
  • Soja – mesmo não sendo frequentemente consumida na forma de grão, a soja está presente em muitos alimentos e a alergia a tal pode levar a vermelhidão, coceira, vontade de vomitar, vômitos, diarreia e nariz entupido.
  • Oleaginosas – os frutos oleaginosos são o grupo composto por amêndoas, castanha de caju, avelãs e castanha do pará, sendo os sintomas da alergia a eles vontade de vomitar, vômitos, dificuldade para engolir, coceira, nariz entupido ou escorrendo e respiração curta.

É válido destacar que em todas essas situações, os sintomas da alergia alimentar podem se manifestar da forma apontada ou serem ainda mais graves, podendo chegar, inclusive, a causar a anafilaxia.

Alergia alimentar nas escolas


É necessário que as escolas fiquem atentas com estudantes que possuem alergia alimentar, pois é uma responsabilidade da instituição de ensino garantir a saúde de seus alunos. Recentemente um
aluno sofreu uma alergia alimentar causada por uma falta de atenção da escola, com isso mostra que é um assunto que não pode ser descartado no ambiente de ensino. 

Pensando nisso, a beSafe desenvolveu uma plataforma de gestão de saúde que possibilitará aos diretores terem acesso a informações preciosas, que podem deixar as escolas muito mais seguras . 

Nessa plataforma, os gestores terão acesso por exemplo, a todos os alimentos que cada um dos seus alunos têm alergia, dessa forma eles conseguirão controlar de forma correta a alimentação dos seus alunos e garantir uma segurança e um conforto a mais para a criança e para os responsáveis. 

Como pode ser feito o diagnóstico de uma alergia alimentar?


A detecção de uma alergia alimentar é feita através da observação dos sintomas já citados anteriormente.

No entanto, alguns exames podem ser realizados de modo a identificar o agente causador da alergia e, então, definir o que o paciente pode ou não comer. 

Esses testes podem ser, por exemplo, de sangue ou de colocação do alérgeno na pele para observação de uma possível reação, por exemplo.

Além disso, é muito importante uma verificação da história da pessoa, procurando possíveis reações alérgicas passadas para tentar relacionar com algo em específico que ela tenha comido.

Como tratar a alergia alimentar?


Ainda não existem medicamentos de prevenção à alergia alimentar, para tanto, o tratamento da alergia alimentar é sintomático – utilizado em crises alérgicas – e depende da gravidade dos sintomas.

 No geral, para casos mais leves de alergia alimentar, usa-se medicamentos chamados anti-histamínicos ou corticoides, enquanto, para casos mais graves, utiliza- se a adrenalina.

É possível uma pessoa alérgica a um determinado alimento poder voltar a ingerí-lo?

Em alguns casos é possível reverter uma alergia. Inclusive, alergias a ovo, soja e leite são resolvidas naturalmente até a adolescência. No entanto, alergias a amendoim, nozes, camarão ou peixe raramente desaparecem.

bESAFE Saúde © 2021
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

beSafe HeaLth&Edutech Educação, Saúde e Segurança por Tecnologia LTDA
 
CNPJ: 40.759.278/0001-61

bESAFE saúde © 2021 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

beSafe Health&Edutech Educação, Saúde e Segurança por Tecnologia LTDA
 
CNPJ: 40.759.278/0001-61